• Language:
  • Currency:

Home | Samba School | Alegria da Zona Sul

Alegria da Zona Sul

Alegria da Zona Sul Samba School flag

“Bravos Malês! A Saga de Luiza Mahin”

2018 Themed Samba

Authors: Samir Trindade, Telmo Augusto, Fernandão, Girão, Marco Moreno, Marcelão da Ilha e Thiago Meiners 
Singer: Igor Vianna 

Samba Lyricsa

Jejê-Nagô ôôô ilumina meu caminhar
Diziam meus ancestrais, na infinita imensidão
Voduns são a matiz da criação
Fui batizada, Luiza, vi a fúria do invasor
Eu sou a virtude de Daomé
No meu sangue, a minha fé, bravura pra enfrentar
Coragem norteando o meu destino
Aprisionada aos porões no além mar

Ô SAUDADE QUE NAVEGA EM ÁGUAS CLARAS
FORTALEZA DE UM NOBRE CORAÇÃO
SALVADOR, ENTÃO “AFRICANIZADA”
NEGRA HERANÇA, RAIZ DO MEU CHÃO

Lutar, para sempre lutar
À luz de Allah, a insurreição
Na pele, a força que inflama a negritude
Na revolta, atitude, pela libertação
Um grito por igualdade, orgulho dos ancestrais
A chama que persiste é esperança
Mesmo traída não me calarei jamais
A raça não se curva a chibata
Poesia eternizada nos meus ideais

BATE O TAMBOR… UM CANTO ECOA
Ô KOLOFÉ… KOLOFÉ MALÊ
INCORPORA MINHA ALMA AFRICANA
ALEGRIA É RESISTÊNCIA, FAZ O SONHO FLORESCER

Desfile 2018




2018 Themed Samba

  • Carnival CommissionMarco Antonio Falleiros
  • Carnival Director: Flavio Azevedo
  • Harmony Director:-
  • Singer: Igor Vianna
  • Drums Director:: Mestre Claudinho Tuiuti
  • Drummers' Queen: Anny Santos
  • Escort: Diego Machado
  • Flag-BearerAlessandra Chagas
  • Vanguard Commission: Leandro Azevedo
  • 2018 Parade
  • Parading Position: 1° a desfilar no sábado (10/2/2018)

“Bravos Malês! A Saga de Luiza Mahin”

Abstract
Salaam Aleikum, meu querido Brasil! Minh’ alma é toda alegria por esse momento,
Pelo tanto que tenho para lhes contar. Os meus ancestrais falavam dos tempos idos,
Quando o mundo fora moldado no infinito.
A morada primitiva da velha deusa das águas,
E das divinas serpentes da criação, Ayìdohwedo e Dangbalá,
Arroboboi!
Contos do Gbé-Dotó, a sagração da vida,
A dança prateada da lua e da claridade do sol,
Matiz da criação, benção de Nanã Buruku.
Assim nasceram os voduns,
Que sussurraram aos homens os mitos,
Os ritos e alicerçaram o Daomé,
Onde reina o meu povo Jeje!
Foi assim que correram os dias,
Até o meu corpo ser aprisionado.
Escravizada em nome da fé de outra gente,
Pelas mãos de Xaxá entregue ao mar,
E como artimanha do destino,
Quis o renegado batismo me nomear Luiza,
“Gloriosa nas batalhas”. Enquanto os ventos cortavam o mar,
Os grilhões sangravam minha pele,
E o coração era só saudade do que ficou.
A resistência fez do corpo fortaleza,
Até ser afagado pela brisa daquela terra,
Onde as águas banhavam as pedras do cais,
Na baía de todos santos e pecadores. Pelas ruas e calçadas fiz o ganho de cada dia,
Enquanto a escravidão trazia o amargo da dor,
A persistência adoçava minha vida de anseios. Foi então que a luz de Allah me trouxe liberdade,
Me fiz Malê ao lado dos meus semelhantes. Sonhei em africanizar a cidade,
Para então me tornar Rainha da Bahia.
A palavra em árabe foi disseminada, Nas bancas, nos ganhos e nas vendas,
Conclamamos a negritude para lutar.
Éramos tantos pelo fim da escravidão, Éramos muitos para a igualdade reinar, Éramos imale, mussurumins.
Assim se fez o levante, A insubmissão negra que sonhava.
Assim se fez a insurreição das senzalas,
Nas veias o sangue Haussá, Tapa, Mina e Nagô, Na pele a cor que nos irmanava. Eis que então a traição calou o grito de revolta,E aos olhos restaram as lágrimas de dor.
Pelas vozes que não mais se ouviram, Pelos irmãos que foram humilhados, Pelos muitos heróis esquecidos.
Mas a centelha de esperança persistiu,
Como a chama de uma lamparina, Abrasando os ideais malês pelo tempo

  • 2012Champion
  • 2010Champion
  • 2003Champion
  • 2001Champion

Data

  • Foundation: 28 de julho de 1992
  • Colors: Vermelho e branco 
  • President: Marcus Vinícius de Almeida
  • Honorary: Sabrina Garcia
  • Samba Hall:  R. Frei Caneca, 211-233 - Centro, Rio de Janeiro - RJ, 20211-000
  • Rehearsals:-
  • Barracks: Via Binário do Porto, 250 - Santo Cristo, Rio de Janeiro - RJ, 20220-410
  • Website: www.gresalegriadazonasul.com.br
  • Press:-

Alegria da Zona Sul's history

A escola foi criada em 28 de julho de 1992 através da fusão dos blocos de enredo Alegria de Copacabana e Unidos do Cantagalo. A escola adotava as cores azul, verde e branco e tinha como símbolo os personagens de Walt Disney: Zé Carioca e Panchito.

Em 1993, no seu primeiro ano na AESCRJ, o Alegria conseguiu se manter no grupo E, apresentando o enredo "Sou Mais Carioca", que retratava os 100 anos de seu bairro, os 50 anos do personagem Zé Carioca e do primeiro aniversário da agremiação.

No ano seguinte, já consolidada, a Alegria da Zona Sul alcançou seu primeiro campeonato, com o enredo "Na Dança das Cores: Preto Não é Cor, Mas Negro é Raça", apresentando em seu desfile um apanhado dos significados das cores e enaltecendo a raça negra.

Em 1995, embora com força de um recente título, e no grupo D, o Alegria não desfilou. No ano seguinte, 1996, penalizado pela Associação, disputou novamente o Grupo E, obtendo novamente o título, com o enredo "Olha que Coisa Mais Linda Mais Cheia de Graça", contando a história e comemorando o centenário do bairro Ipanema.

Em 1997, após novos distúrbios, quase não desfila. Seu enredo foi "Capoeira, Um Ballet á Brasileira", contando a origem da luta/dança. Apesar dos problemas, consegue uma boa apresentação, que lhe rendeu o vice-campeonato e o acesso ao grupo C.

Em 1998, obteve o sétimo lugar com o enredo "Mulher Negra é Cultura Mundial", enaltecendo a importância e força da mulher negra desde os primórdios da humanidade, mantendo-se no mesmo grupo.

Em 1999, o Alegria apresenta-se com o enredo "Alegria, Seu Signo no Zodíaco", na Avenida Rio Branco, apresentando os signos e colocando a escola como o signo da euforia. Obteve o penúltimo lugar, e desceu para o grupo D.

No ano 2000, o Alegria vence e sobe novamente para o grupo C com o enredo "Negro Quem És?".

Em 2001, com o enredo "Brasil um País de Todas as Raças", mostrando as etnias que estiveram no Brasil até mesmo antes do descobrimento dos portugueses e a miscelânea que é o povo brasileiro, o Alegria da Zona Sul é campeão na Avenida Rio Branco, classificando-se para o desfile no grupo B na Marquês de Sapucaí.

Em 2002, foi a segunda escola a desfilar na terça-feira de carnaval, conseguindo a 6ª colocação com o enredo "O Sonho Dourado de Percy", mostrando a saga do coronel inglês Percy Fawcett, desaparecido no interior do sertão brasileiro quando buscava a entrada para o Eldorado.

Em 2003, apresentou o tema "Festa no Quilombo: na Coroação de um Rei Negro", a escola apresentou, num sonho de folião, o que teria sido a festa de coroação de Ganga Zumba, o primeiro rei de Palmares, quando, os mocamos homenagearam o entronado com danças afro-brasileiras, o que rendeu a ascensão ao grupo A.

Em 2004, o grêmio apresentou na avenida dos desfiles o enredo "Dorival Caymmi, o Mar e o Tempo nas Areias de Copacabana", onde se aproveitou do fato de ser do bairro que o cantor e compositor Dorival Caymmi escolheu para viver e completar seus 90 anos de idade.

;