• Language:
  • Currency:

Home | Samba School | Estacio

Estácio de Sá

Beija Flor Samba School flag

 “NO PREGÃO DA FOLIA SOU COMERCIANTE DA ALEGRIA E COM A ESTÁCIO BOTO BANCA NA AVENIDA”

2018 Themed Samba

Authors: Alexandre Naval, Filipe Medrado, Luiz Sapatinho, Pelé, Thiago Sousa, Rodrigo Armani e Diego Tavares 
Singer: Igor Vianna e Diego Nicolau 

Samba Lyricsa

RAIOU O ESPLENDOR DE UM NOVO DIA
A MELHOR MERCADORIA TENHO AQUI PRA OFERTAR
EU SEI, TUDO TEM O SEU PREÇO
GANHEI O TEU APREÇO, VIM DE ALÉM MAR
DO ESCAMBO NASCE UM LAÇO DE UNIÃO
E O NATIVO É PROTETOR DO NOSSO CHÃO
VI NESTA CIDADE, A NEGRA FORÇA QUE LUTOU POR LIBERDADE
E EM AQUARELA RETRATEI SER VENDEDOR É UMA ARTE

QUEM VAI QUERER? QUEM QUER COMPRAR?
TEM ALEGRIA, AMOR, PODE CHEGAR
DE PORTA EM PORTA LEVO O MEU TESOURO
SOU O POVO! SOU ESTÁCIO DE SÁ!

O IMIGRANTE TRAZENDO ESPERANÇA APORTOU
TRABALHADOR, BRAÇO FORTE DA NOSSA NAÇÃO
E NO “ME DÊ ME DÁ”, COMÉRCIO POPULAR
NA FEIRA LIVRE TEM DESCONTO PRA VOCÊ
E NO “ME DÁ ME DÊ”, NO “TOMA LÁ, DÁ CÁ”
“BALANGANDÃS E JÓIA RARA” PRA VENDER
EU SOU MERCADOR DESSA FOLIA
SAMBISTA “DE BERÇO”, DE CORPO E ALMA
NA ERA DA MODERNIDADE

SOU TRADIÇÃO, UMA ESCOLA DE VERDADE
BOTA BANCA NA AVENIDA… MEU LEÃO
BATE NO PEITO, DESCE O SÃO CARLOS
É MEU ORGULHO MAIOR… “DEIXA FALAR”
PRA SEMPRE VOU TE AMAR

2018 Parade




2018 Themed Samba

  • Carnival Commission: Tarcísio Zanon
  • Carnival Director: : Marcão Selva
  • Harmony DirectorJulinho Fonseca e Marcos Alexandre
  • Singer: Serginho do Porto
  • Drums DirectorMestre Gaganja
  • Drummers' QueenElaine Azevedo
  • EscortZé Roberto
  • Flag-BearerAlcione
  • Vanguard CommissionAriadne Lax
  • 2018 Parade
  • Parading Position:-

 “NO PREGÃO DA FOLIA SOU COMERCIANTE DA ALEGRIA E COM A ESTÁCIO BOTO BANCA NA AVENIDA”

Abstract

Como é arrebatador esse sol que brilha nessa terra maravilhosa dos encantos mil. E que bom rever minha São Sebastião do Rio de Janeiro tão próspera em atividade mercantil. Voltei de tempos passados à cidade que fundei para entrar na história que minha agremiação querida quer contar. Faço-me presente, com satisfação, para aplaudir minha escola a desfilar.

Sou o valoroso lusitano Estácio de Sá, vim de longe, de terras D’além mar. Meu grande feito foi daqui expulsar os franceses com o apoio dos índios aliados para essa linda cidade fundar. Parece absurdo, como podem portugueses unidos a indígenas guerrear? Ora, é simples explicar: para a confiança e a adesão dos nativos conquistar, foi preciso bugigangas da civilização lhes presentear.

Esse troca-troca do toma lá dá cá, do me dê me dá, muito encantou esses curiosos guerreiros, com muitos objetos, muito espelho. E foi assim que se aliaram à minha batalha, seguindo meu audacioso conselho. Por esse meio, aconteceu o primeiro escambo, desde que aqui nessas terras tropicais chegamos. Os índios levaram para suas aldeias o produto do primeiro comércio com os brancos e juntos comungamos. E com essa transação inicial, a fundação desse torrão carioca comemoramos.

Esse solo recém-achado teve suas riquezas extraídas para se comerciar em lugares distantes. Muito foi derrubado o pau-brasil por ser naquela época aqui abundante. Grandes carregamentos de especiarias ao velho mundo abasteciam. Saquearam tanto nosso solo sem nem considerar os que no futuro viriam.

Traficaram tudo, arrancando de seu berço africano até o negro rei, escravizado para o trabalho forçado nas lavouras da cana de açúcar e de café, para aos de pele alva servir. Máquinas humanas subjulgadas, adquiridas para a produção do refinado e da bebida quente, que uma desumana sociedade se abastava em consumir. Nesse período triste do cativeiro, escravos de ganho não libertos ganhavam dinheiro vendendo pelas ruas em bandejas diversos produtos. Usavam seu lucro para a compra da alforria em busca de um viver quase absoluto.


  • 2015Champion
  • 2014                                     Champion
  • 2006Champion
  • 2005Champion

Data

  • Foundation: 27 de fevereiro de 1955
  • Colors: Vermelho e branco
  • PresidentLeziário Nascimento
  • HonoraryCoronel França
  • Samba Hall: Av. Salvador de Sá, 206-208 - Cidade Nova, Rio de Janeiro - RJ, 20211-005
  • Rehearsals:-
  • Barracks:-
  • Website: http://gresestaciodesa.com.br
  • Press:-

 Estácio de Sá's history

Em sua bandeira, a Estácio de Sá carrega o nome do fundador da cidade do Rio de Janeiro, mas sua história se confunde, sobretudo, com a formação das escolas de samba. A explicação é simples: "Vem de lá, vem de lá", da região da Praça Onze, a origem da vermelha-e-branca. É a Deixa Falar, considerada por pesquisadores como a primeira de todas. É no Estácio, pertinho da Praça Onze, reduto do samba, da batucada e do candomblé, palco de personagens clássicos do mundo do samba como Tia Ciata, Donga e Sinhô, que nasceu a Deixa Falar, em meados de agosto de 1927. Um dos seus fundadores é Ismael Silva, sambista de Niterói que se mudou ainda criança para a região do Rio Comprido na década de 20. Inicialmente, a Deixa Falar era bloco, mas logo se tornou escola de samba. A alcunha foi sugerida pelo próprio Ismael Silva, em analogia a uma escola normal que funcionava no bairro. Para ele, a Deixa Falar funcionava como um celeiro de "professores do samba".bandeira historia

Como escola, a Deixa Falar desfilou pouco - apenas nos carnavais de 1929, 1930 e 1931. Nem chegou a participar do primeiro desfile oficial, organizado pelo jornal "Mundo Sportivo", em 1932. No entanto, foi referência para o surgimento de outras agremiações no Rio de Janeiro, inclusive no próprio morro de São Carlos, base da atual Estácio de Sá. Lá, foram fundadas outras escolas que faziam sua folia na disputa pelo título, como "Cada Ano Sae Melhor", "Vê se pode" (posteriormente "Recreio de São Carlos") e o "Paraíso das Morenas". Os laços, quase consangüíneos, falaram mais forte e, em 1955, essas escolas se uniram para formar a Unidos de São Carlos. Desde então, o efeito ioiô, aquele sobe-e-desce de grupos, pontuou a história da São Carlos, mas nem por isso deixou de fazer bonito no desfile principal. Dois exemplos são notórios e foram reeditados recentemente: "A festa do Círio de Nazaré", em 1975, e "Arte Negra na Legendária Bahia", de 1976, que revelou o talento do compositor e intérprete Dominguinhos do Estácio.

Em 1983, mais uma mudança: a Unidos de São Carlos vira Estácio de Sá. Suas cores, antes azul-e-branca, voltam a referenciar a herança direta da Deixa Falar, e o "pavilhão do amor" balança novamente vermelho e branco. A troca no nome era para adequar a escola à sua comunidade, que já contava, na época, com integrantes e simpatizantes que iam além das fronteiras do Morro de São Carlos.

historia1Em sua nova fase, a Estácio, já no desfile principal, tomou características de uma escola leve, descontraída e irreverente, mas nunca emplacando uma posição de grande destaque - no máximo, o quarto lugar com a primeira versão de "O tititi do sapoti". Mas, em 1992, veio a surpresa que ninguém esperava. Quando todos davam como certo o título para a bicampeã Mocidade, o Leão corre por fora e abocanha o título, com o enredo "Paulicéia Desvairada, 70 anos de Modernismo no Brasil". Este é o único campeonato da Estácio de Sá no Grupo Especial, que, em 1997, sofreu um baque e retornou ao Grupo de Acesso A, onde permaneceu por nove anos. Chegou a ir para a terceira divisão do samba, o Grupo de Acesso B, em 2005. Sua retomada ascendente, campeã dos Grupos de Acesso em 2005 e 2006 culminou em seu retorno à elite do samba. No Carnaval 2007 a escola reeditou no Grupo Especial o inesquecível enredo "Tititi do Sapoti". Após um desfile que sacudiu a Marquês de Sapucaí, a Estácio de Sá retornou ao Grupo de Acesso, onde está há quatro anos em busca de uma vaga no Grupo Especial das Escolas de Samba do Rio de Janeiro.

;