• Language:
  • Currency:

Home | Samba School | Academicos Da Rocinha

Acadêmicos da Rocinha

Madeira Matriz

2018 Themed Samba


Authors: Márcio André, Marquinhos do Armazém, Amaury Cardoso, Ronaldo Nunes, Rafael Prates, JR Vidigal, Flavinho Segal e Anderson Benson 
Singer: Leléu

Samba Lyricsa

Um olhar acende a luz da inspiração
Vem ilustrar em preto e branco o meu agreste
No taco da umburana, a matriz traçou
A xilogravura de um matuto sonhador
Os muros vão retratar a lida de sua gente
Nas feiras, nuvens de balões

Folheteiros de ilusões, doces, frutas e piões            (bis)

O barro é ouro às margens do Ipojuca
Floriu da palma o alimento desta luta

Contra o monstro do sertão           (bis)

Seca danada como esta ninguém viu
“Vamo” simbora que asa branca já partiu
Meu padim faz chover, São Jorge não vença o dragão
Quem carrega a fé pra valer, vai seguindo a procissão
Estrelinhas lá no céu alumiam Bezerros

É São José padroeiro           (bis)

Qual “muié” pôs o cão na garrafa?
Quem viu casar Lampião?
É o pecado e a graça nestes causos do sertão
Tem batuque pra Xangô no pé da serra
Maracatu, bumba meu boi, papangu da minha terra
Nessa ciranda todo mundo vai chegar
Este cortejo tem frevo e cantoria
Fiz de papel colè as máscaras desta “fulia”
Vem, que a Rocinha chegou, é nosso caso de amor

Deixa a borboleta te encantar…                                        (bis)
Chora, viola, a minha história vai emocionar

2018 Parade




2018 Themed Samba

  • Carnival Designer: Marcus Ferreira
  • Carnival Director: Márcio André
  • Harmony Director: Daniel Katar
  • Singer: Leléu
  • Drums Director : Júnior
  • Drummers' Queen: Mônika Nascimento
  • Escort: David Sabiá
  • Flag-Bearer: Thainá Teixeira
  • Vanguard Commission: Hélio Bejani and Beth Bejani
  • 2018 Parade
  • Saturday, February 10th.
  • Parading Position: Fourth School

Madeira Matriz

Abstract

Pelas campinas sob o vento quente do agreste pernambucano. Céu esculpido por baixas nuvens emoldura muros xilogravados de histórias vividas na memória de populares. A pequena São José dos Bezerros, entrelaçada por animais passantes, eterniza em desenhos a sua história em preto e branco. Passa seus ensinamentos a mãos de seus filhos de fibra. Chão de inúmeros artistas que preenchem paredes vazias com suas lições. Luzir da criação!

Trato o taco de umburana, vindo de Caruaru. Corto com um formão, cavo com uma goivinha e risco com um buril (meio troncho). Traço em matriz a “xilogravida” de um matuto que deu certo por esse mundo afora.

De reinos baianos, os primeiros símbolos gravados em cartas de jogar, ato perpetuado na feira ecológica da minha Bezerrinhos. Penduricalhos. Barracaria: palhaços-vendedores com balões; frutas nordestinas exalando doce-mel; gaiolas repletas de galinhas e cabrinhas; piões esculpidos em louro-canela; o colorido rubro-terroso da cerâmica dos grandes mestres do Alto do Moura, mesmo barro que tinge águas margeantes do Ipojuca. A gritaria dos folheteiros em barracas de cordel estampadas com o tempo de nossa não fácil vida.

Esboço a aridez do chão em tapete verde que resiste e adoça a vida em cor. Florir da palma, meio a seca castigada pelo Monstro do Sertão, nosso alimento em tempos árduos… Mesmas mãos de arte na lida colheita da cana, da quebra do milho, na acolhida aos ovos frescos da manhã ou no afago do algodão. A mula traceja um caminhar de caçuás repletos de girassol-flor e rosas da linda donzela sertaneja. Findo à tarde. Vejo distante pés ao chão e a vida na cabeça, são muitos fujindo (com j mesmo) da terra seca… Solitária, ao alto, acompanha-os: Asa Branca.

Primeiras estrelinhas raiadas ao fundo, em azul tênue do céu. Valei-me meu querido Juazeiro do Norte! Sigo o aviso de Frei Damião: ser um bom romeiro a tantas santidades católicas por mim gravadas, em especial São José, nosso padroeiro protetor. A São Francisco, proteja-me às passaradas. A São Jorge, não me vença os dragões. A Padim Ciço, os primeiros pingos de esperança. Fé e picardia não podem faltar! O diabo e a mulher andam de mãos dadas. A prostituta boa, quem diria, barganhou com charme sua vaga aos céus. O carcará em voo perpétuo sobrevoa o bando de Lampião que, ao chegar ao inferno, avista o casamento de seu supremo maior: Anjo-Mau.

Areal iluminado por linhas tracejantes de gambiarras, pequenos pontos de luz. Ouço a rude batucada e cânticos de louvor a Xangô na fina areia do agreste. Devagar. Brejeiros, os primeiros acordes do pífano rural no forró da Serra Negra. Ordeno o som da embolada para as donzelas do Coco e Ciranda. Nas cheganças, lindo cortejo de fitas e flores franzidas no balancê do Bumba-meu-boi e Cavalo-marinho. Passo cruzado, brilhante perucaria da corte do Maracatu Rural. Nas pequenas sacadas, Papangus comem xerém ao som do frevo e cantoria. Os hômi se esconde das muié na sua rouparia. Baile armado: compasso minha alegria!

Escavo a minha inspiração e moldo a máscara em papel colè. Marco o debrum negro de formas aladas. Pingo antenas com auréola. Faço uma fúlia (digo folia) com a borboleta encantada, pedacinho do meu Agreste… Pincelo o verde, azul e deixo o branco como base. Entalho, assim, essa história e a minha história, Rocinha!

De tema: Madeira Matriz. Preparo a tinta gráfica. Prenso. Penduro.
Finco na barrinha: J. Borges.

  • 1989 Group 5 - Champion
  • 1990 Group 4 - Champion
  • 1991 Group 3 - Champion
  • 1999 Group 3 - Champion

Data

  • Foundation: March 31th, 1988
  • Colors: Green, Blue and White
  • President: Ronaldo Oliveira
  • Honorary: -
  • Samba Hall: Rua Berta Lutz, 80 - São Conrado - RJ
  • Rehearsals: ?????????
  • Headquarters: Rua Almirante Mariath, 03
  • Phone: +55 21 3205-3318
  • Website: http://www.rocinha.org/academicosdarocinha/
  • Press: -

Acadêmicos da Rocinha's history

The samba school Acadêmicos da Rocinha was formed with the union of three carnival blocks: Império da Gávea, Sangue Jovem, and Unidos da Rocinha.

In this way, the boards of the three blocks met in 1988 to form a school that would represent the community of Rocinha worthily. Introducing himself for the first time in the carnival of 1989, the school had as nothing more, nothing less, than Joãosinho Thirty who took the school to a tri-championship.
Winning its first parade with the themed samba "The Splendor of the Divine Orixás" by the Preliminary Group, the school returned to emerge victorious in Group 3, with the theme "A Heart Called Brazil", and in Group 2, with the theme "From the splendor of Pagan Rome, to the Awakening of Rocinha ".

Arriving in Group A in 1992, the school made an excellent parade with the theme "Not to mention I did not speak of the flowers" of carnival designer Carlinhos de Andrade, but despite the excellent performance, the school did not pass the 5th place.
Finally the dream of belonging to the Group of the elite of samba came with the runner-up in 1996 with the plot "Bahia With Lots Of Love" developed by the carnival designer Gil Rincón.

Rocinha would thus reach the special group in 1997, after securing a runner-up in Group 1 in 1996.
The school's debut in the samba elite was a daring one, as it brought a story about Disney - "Zé Carioca's enchanted trip to Disney" - but failed to perform well and finally returned to Group 1. In that the same year Rocinha invited five children from the favela to represent Brazil on Disney's 25th birthday in Orlando, Florida. The school was awarded the Gold Standard for the best male samba dancer of that year, Zé Luís da Silva.

The following year, in 1998, the school had a very weak parade ended up falling to Group B, where it would return to be champion, but could not stay in Group 1 and ended up returning to Group B again, signing in 2001, but champion of this.
Returning to Group A for the Carnival of 2002, Rocinha paraded in its theme a tribute to Jornal O Povo, and in 2003, the school paid homage to the centenary of the Fluminense Futebol Clube. However, it had problems and not to exceed the parade time and did not make the drums' retreat in Sector 11, getting the 8th rating.

;