União da Ilha - Escola de Samba - Samba Enredo English

Bandeira - União da Ilha Escola de Samba

Ouça aqui o Samba Enredo da União da Ilha apenas clicando no botão do player ao lado.

 

GRES União da Ilha do Governador

FICHA TÉCNICA

Fundação: 07/03/1953

Cores: Cores Azul, Vermelho e Branco

Presidente de Honra: Maurício Gazelle (in memorian)

Presidente: Ney Filardi

Quadra: Estrada do Galeão, 322 – Cacuia –Ilha do Governador, Rio
CEP 21391-242
Telefone: (21) 3396-8169

Ensaios: Aos sábados, a partir de 23h

Barracão: Cidade do Samba (Barracão nº 07) - Rua Rivadávia Correa, nº 60 - Gamboa
CEP: 20.220-290
Telefones Barracão
(21) 2253-6447 / (21) 2253-8080

Web site: www.gresuniaodailha.com.br

Imprensa:
César Nogueira
cesarnogueira1976@gmail.com
Telefones: (21) 7898-7483 /
(21) 9981-4574


União da Ilha 2016

Enredo:
"Olímpico por natureza... Todo mundo se encontra no Rio"

Carnavalesco:
Alex de Souza

Diretor de Carnaval: Márcio André

Diretor de Harmonia: Válber Frutuoso

Intérprete: Ito Melodia

Mestre de Bateria: Thiago Diogo

Rainha de Bateria: Bruna Bruno

Mestre-Sala: Márcio Siqueira

Porta-Bandeira: Cristiane Caldas

Comissão de Frente:
Patrick Carvalho

 



União da Ilha

Enredo: "Olímpico por natureza... Todo mundo se encontra no Rio"

Autores: Djalma Falcão, Carlos Caetano, Gugu das Candongas, Beto Mascarenhas, Roger Linhares e Marco Moreno

Intérprete: Acraílson Forde (Ito Melodia)

Samba Enredo 2015

 

Floresceu… desabrochou uma explosão de cor

Bem-vinda oh mão natureza

Transformando, esbanjando formosura, é beleza pura

Vem no tempo vai no vento, quem vai julgar

O povo sempre deu um jeito de se enfeitar

Cada um é tão bonito quanto possa imaginar

Sou sambista, minha arte é universal

O que importa é estar na moda, na avenida principal

Me visto de ilusão, transbordo de emoção sou

Chique estou no Carnaval

 

Lá vem ela toda prosa, gostosa fiu, fiu

A beleza tá no seu interior, nos olhos de quem vê

No verdadeiro amor

 

Diga espelho meu no swing dessas feras

Tem mais bela do que eu? Ele respondeu:

No reino encantado, quem nasce pra brilhar, jamais se apagará

Mamãe tô forte e tenho sorte

Meu charme é passaporte para ser superstar

Eu tô na tela da tv sou a cara da riqueza

Tiro foto de mim mesmo eu só quero aparecer

Vim sem nada pra vida, nada vou poder levar

O meu destino diz, que eu serei feliz

 

A Ilha chegou, a festa começou

O show é da comunidade

Sem desmerecer ninguém, sou a mais linda

Encantando a cidade

 

 


Enredo 2016

"Olímpico por natureza... Todo mundo se encontra no Rio."

 

Partiu Rio...

- Atenção senhores passageiros do voo Olimpo/Rio, direto, sem escalas: dentro de alguns minutos estaremos aterrissando no Aeroporto Internacional Tom Jobim, na cidade do Rio de Janeiro. Mas, desde já, avisamos: esta cidade é “irada”, percam a linha à vontade!

 

E assim a “turma de Zeus” atravessa a Linha do Equador e desembarca no Rio, num domingo de sol. Pecados não sabemos se há, mas podemos dizer que isto aqui é uma tentação! Até mesmo para os Deuses. Curiosos por conhecer esta terra, este povo, cheio de “bossa”, cheio de “ginga”, sem “vacilo”.

 

Os cariocas são dourados...

O Rio de Janeiro tem sua pira olímpica natural brilhando e iluminando a cidade o ano inteiro: o sol. O astro-rei convida o carioca a celebrar a vida ao ar livre, dourando seus corpos. Um povo aquecido pela alegria de viver, que adora o seu despertar incandescente e aplaude o seu repouso, atrás da linha do mar, num maravilhoso espetáculo proporcionado pela natureza.

 

Afinal, quem gosta de dias nublados?

 

“Vem amor

Vem à janela ver o sol nascer

Na sutileza do amanhecer

Um lindo dia se anuncia...”

 

O carioca nasceu para nadar...

O carioca tem intimidade com a água desde sempre. Golfinhos são ostentados no brasão da cidade que nasceu e cresceu à beira-mar. Na água salgada do mar, ou na água doce dos rios, lagoas e cachoeiras que banham a cidade, o povo se revela um verdadeiro ser aquático.

 

“Veleiros que passeiam pelo mar...”

 

O carioca nasceu para correr...

Terra, montanha, floresta, areia e asfalto. A geografia carioca é um convite para o movimento. Passo a passo, a cidade desenha seus caminhos sempre em direção à beleza. Correndo, pedalando, escalando, desbravando alguma trilha ou disputando alguma bola, o povo faz de sua terra um solo sagrado para a celebração do esporte.

 

“Veja o despertar da natureza

Olha amor quanta beleza...”

 

O carioca nasceu para voar...

Voar é para os pássaros... e para o carioca também!

 

A sensação de liberdade não tem preço para esse povo livre de formalidades. Os ventos que sopram pelos ares da cidade inflam e impulsionam seus habitantes voadores, levando-os para onde quiserem, num mergulho entre o verde e o azul, com o horizonte aos seus pés.

 

“Vai o sol e a lua traz no manto

Novas cores, mais encanto...”

 

O carioca nasceu para curtir...

O carioca tem vocação para a felicidade. E antes acompanhado do que só para curtir um som, uma “vibe”, um lugar, trocar uma ideia. O maior prazer deste povo é fazer com que todos se sintam à vontade em sua “casa”. E o que o carioca faz de melhor é se juntar, se misturar, confraternizar. O carioca simplesmente se encontra e, no Rio, todos acabam sendo “irmãos”, “brothers”. Pessoas de todas as partes do planeta se encantam pela Cidade Maravilhosa e pelo seu povo que recebe a todos de braços abertos. O espírito olímpico é o espirito carioca.

 

“Mas eu que sou do samba

Vou pro terreiro sambar...”

 

Todo mundo se encontra no Rio.

Mas, e os Deuses? Aqueles lá do início, que chegaram do Olimpo... Andam por onde?

 

Ah, eles agora andam por aí, sorrindo à toa. Encantados com tanta beleza, “curtindo”, “azarando”, “formando”, “na moral”!

 

A passagem de volta? Tem mais volta não. O Olimpo é aqui!

 

O Rio de Janeiro é a terra dos Deuses e dos cariocas, mas também é a terra dos americanos, dos europeus, dos africanos, dos asiáticos, dos oceânicos e de quem mais chegar.

 

Pois todo mundo se encanta com o Rio.

Todo mundo se encontra no Rio!

 

E Zeus mandou avisar:

- Prepare o seu melhor sorriso, pois os Jogos vão começar!

Já é!

 

 


A História da União da Ilha

A União da Ilha do Governador foi fundada por Maurício Gazelle, Joaquim Lara de Oliveira (o Quincas), Orphylo Bastos e mais 59 sócios. Manteve-se algum tempo entre o segundo e o terceiro grupos e em 1974, quando foi campeã do segundo grupo, obteve o acesso ao grupo principal, a partir do ano seguinte.
De 1977, com o enredo "Domingo", a 1980, quando ficou em segundo lugar com o enredo "Bom, Bonito e Barato", a União da Ilha fez bons desfiles. O samba “É hoje O Dia”, de 1982, é um dos mais conhecidos e regravados da história do Carnaval. A escola levou para a Sapucaí desfiles leves, baratos e animados. Esta seria a marca registrada da União da Ilha, mantida até hoje. Suas fantasias costumam ser leves, sem grandes esplendores, facilitando o desfile para o componente. A escola também consegue estabelecer uma boa comunicação com o público, sendo consideradas uma das mais simpáticas do carnaval carioca. O Amanhã foi o samba enredo da União da Ilha em 1978 e neste mesmo ano foi gravada por Elizeth Cardoso, mas foi com a primeira gravação de Simone, em 1983 (CD Delírios e Delícias e regravada no CD Simone ao vivo), que ela se popularizou.
Nos anos mais recentes, o desfile mais lembrado da União da Ilha foi em 1989. O samba-enredo "Festa profana" trazia o refrão "Eu vou tomar um porre de felicidade, vou sacudir eu vou zoar toda cidade". Este samba é cantando até hoje nos quatro cantos do país. Naquele ano, a escola ficou em terceiro lugar. Acredita-se que a escola teria perdido o carnaval pelo fato da bateria ter desfilado sem chapéus.
Em 1991 a escola fez uma homenagem a Didi, o poeta que ganhou 22 disputas de samba enredo. O samba trazia os versos "Hoje eu vou tomar um porre, não me socorre, que eu tô feliz" e "Bebo vem bebo vai, que nem maré, balança mas não cai, boêmio é", além de frases como "Garçom, garçom bota uma cerva bem gelada aqui na mesa". Sem sombra de dúvida, um grande carnaval sob a voz do grande mestre Aroldo Melodia.
O último bom resultado foi obtido em 1994, com "Abrakadabra", em que chegou em quarto lugar, sua última participação no Desfile das Campeãs. Desde então, não vem obtendo boas colocações.
1995 foi o último ano de Aroldo Melodia como intérprete e fora isso a Ilha acabou não tendo o mesmo resultado do ano anterior, ficando na 9ª colocação. No ano seguinte Aroldo teve um derrame, e o intérprete passa a ser seu filho, Ito Melodia, que tem o mesmo timbre de voz do pai.
Em 1997 a Ilha vem falar da cidade maravilhosa um sonho de Pereira Passos, mais a Ilha não foi feliz na parte do abre alas, não veio e a falta de dinheiro que já atingia várias escolas como a Estácio de Sá que caiu naquele ano. Resumindo, a Ilha ficou em 12º lugar, quase caindo para o acesso A. Muitos críticos, condenaram a escolha desse enredo, porque o ex-Prefeito Pereira Passos expulsou grande parcela da população carente de sua época do centro da cidade e sendo as escolas de samba fruto da criação desse segmento da população homenagear essa personalidade não seria algo confortável.
Em 1998 Ito Melodia deixa a escola, entrando no seu lugar , ex-Portela. A União falou de Fatumbi, a Ilha de Todos os Santos. Porém um dos índios da segunda alegoria despencou antes do começo do desfile por causa de um adereço pesado e uma rachadura no pescoço do adereço, fazendo com que a escola fosse prejudicada. Nesse ano a Ilha ficou em 9º lugar com 255,0.
Em 1999 A Ilha sofre um Incêndio no seu barracão perto do carnaval. Mesmo assim refez os carros e conseguiu desfilar, ficando na 10 Colocação com total de 253,0.
Em 2000, com "Pra não dizer que não falei das flores", a União da Ilha chegou em oitavo lugar, abordando um dos períodos mais nebulosos dos 500 anos do Brasil: a ditadura militar, de 1964 a 1985.
Em 2001 trazendo Wander Pires como Intérprete, apresentou o Enredo "A União Faz a Força", apesar do desfile empolgante, a precariedade de algumas alegorias, fez com que a escola ficasse no penúltimo lugar, apenas a frente da Paraíso do Tuiuti que também foi rebaixada naquele ano.
Em 2002, de volta ao grupo de Acesso, falando sobre a cidade de Duque de Caxias, fez um belo desfile, e foi bastante elogiada, mas não conseguiu atingir a primeira colocação permanecendo no Acesso, inclusive tendo desfilado no mesmo grupo com a sua coirmã menor Boi da Ilha, tendo também a volta do intérprete Ito Melodia para a Escola, onde permanece até hoje.
Em 2003, homenageando a escritora Maria Clara Machado, candidata ao título, consegue apenas o vice campeonato.
De 2004 à 2008 teve altos e baixos com a falta de recursos, fazendo desfiles para se manter. Apesar disso, em 2005 conquistou o vice-campeonato do Acesso A.
Em 2008, mesmo sem muitos recursos, a escola fez um desfile de garra, e reeditou o É hoje, o que lhe valeu a quinta colocação.
Em 2009, a escola insulana escolheu o enredo "Viajar é preciso - viagens extraordinárias através de mundos conhecidos e desconhecidos", do carnavalesco Jack Vasconcelos, sagrando-se campeã do carnaval do Grupo de Acesso A com 239,9 pontos, voltando após o seu rebaixamento em 2001, ao Grupo Especial em 2010.
Após 9 anos no Grupo de Acesso a União da Ilha voltou ao Grupo Especial. Para 2010, contratou a carnavalesca Rosa Magalhães, e apresentou um enredo que falava do famoso personagem da literatura espanhola, Dom Quixote de La Mancha. Em sua disputa interna de sambas de enredo, a escola optou por fundir duas composições finalistas, pegando por base o samba de Grassano, Gabriel Fraga, Márcio André Filho, João Bosco e Arlindo Neto, e juntando com segundo refrão da parceria de Gugu das Candongas, Marquinho do Banjo, Barbosão, Ito Melodia e Léo da Ilha ("nesse feitiço/ tem castanhola/ a bateria hoje deita e rola").3 Algumas modificações nas letras e melodia foram feitas para harmonizar o samba, uma vez que logo o seu anúncio, os comentaristas em geral criticaram a fusão, embora elogiassem a qualidade do samba . No dia do desfile, a frente da bateria, junto com a rainha Bruna Bruno, veio também, como madrinha, Luciana Picorelli. Abrindo o desfile do grupo especial, o carnaval da Ilha foi parcialmente ofuscado por alguns problemas nos carros alegóricos. A escola terminou em 11º lugar, escapando de um novo rebaixamento.
No carnaval de 2011 a União da Ilha apresentou o enredo O Mistério da Vida, que conta sobre a evolução das espécies e sobre o cientista inglês Charles Darwin. A escola teve como carnavalesco Alex de Souza, advindo da Vila Isabel. Dias antes do desfile de 2011, o barracão da União da Ilha, que fica localizado na Cidade do Samba, sofreu um incêndio de grandes proporções que atingiu também os barracões da Portela e da Grande Rio, além do galpão da LIESA. Apesar do incêndio, e de não ter sido julgada, a escola apresentou um desfile grandioso. Seus componentes desfilaram como que se tivessem disputando a briga pelo título. Neste ano a escola conquistou, além da simpatia do público, três troféus Estandarte de Ouro, promovido pelo Jornal O Globo, nas categorias Melhor Escola do Grupo Especial, Melhor Enredo e Melhor Intérprete com Ito Melodia.
Em 2012 a União da Ilha contou novamente com o carnavalesco Alex de Souza e teve como tema a cidade de Londres, sede das Olimpíadas de 2012. O título do enredo foi: "De Londres ao Rio: Era uma vez... uma Ilha". O enredo foi baseado na cultura britânica e nas olimpíadas de 2012, fazendo uma alusão aos jogos olimpícos de 2016 a serem realizados no Rio de janeiro. De acordo com o carnavalesco, a escola se apresentou de forma lúdica e literária, e fez uma versão bem carioca dessa festa. A comissão de frente da Ilha protagonizou um momento histórico ao unir Maria Augusta, ex-carnavalesca da escola, e o folclórico gari Renato Sorriso. O grupo representou a guarda real da monarquia britânica, fazendo uma brincadeira entre o rígido protocolo militar e o suingue do samba carioca. Uma grande sacada do carnavalesco Alex de Souza, que simplesmente arrebatou o público e conquistou para a escola o troféu Estandarte de Ouro na categoria melhor Comissão de Frente. Apesar do bom desempenho, a escola terminou o campeonato de 2012 em oitavo lugar.
No ano de 2013, a escola apresentou o enredo "Vinícius, no Plural. Paixão, poesia e Carnaval", uma homenagem ao poeta Vinícius de Moraes.
Em 2014, a escola levou para avenida o enredo: É Brinquedo, é brincadeira. A Ilha vai levantar poeira!6 . A Escola Surpreendeu a todos fazendo um lindo desfile e sendo apontada com fortíssima candidata ao sábado das campeãs . Na Apuração a expectativa se concretizou , A Ilha ficou em quarto lugar , a frente de escolas tradicionais como Beija - Flor , Imperatriz e Mangueira , e ainda liderou no ínicio da apuração . No fim ficou melhor do que o esperado , e parece que a ilha voltou a ser a escola dos anos 80 e ínicio de 90.
Antes do carnaval 2014, a tricolor da Cacuia, assim como a sua madrinha Portela, já definiu o enredo pra 2015, que será sobre os 450 anos da cidade do Rio de Janeiro .Algum tempo depois mudou seu tema para ''Beleza Pura?'' Que trata da forma de se enxergar a beleza.

 

Os Títulos da Escola

ANO COLOCAÇÃO
1960 3° lugar
1961 Vice-Camoeã
1962 14° lugar
1963 10° lugar
1964 10° lugar
1965 5° lugar
1966 4° lugar
1967 3° lugar
1968 11° lugar
1969 5° luga
1970 Vice-Campeã
1971 14° lugar
1972 8° lugar
1973 9° lugar
1974 Campeã
1975 9° lugar
1976 9° lugar
1977 3° lugar
1978 4° lugar
1979 5° lugar
1980 5° lugar
1981 7° lugar
1982 5° lugar
1983 7° lugar
1984 5° lugar
1985 12° lugar
1986 5° lugar
1987 9° lugar
1988 6° lugar
1989 3° lugar
1990 7° lugar
1991 9° lugar
1992 10° lugar
1993 11° lugar
1994 4° lugar
1995 11° lugar
1996 12° lugar
1997 12° lugar
1998 9° lugar
1999 10° lugar
2000 8° lugar
2001 13° lugar
2002 3° lugar
2003 Vice-Campeã
2004 7° lugar
2005 Vice-Campeã
2006 3° lugar
2007 4° lugar
2008 5° lugar
2009 Campeã
2010 11° lugar
2011 4° Lugar
2012 8° lugar
2013 9° lugar
2014 4° lugar
2015 9° lugar
2016